>
<

COMO PODEMOS AJUDAR?


Saúde Juvenil

O preservativo

O único método que protege infeções sexualmente transmissíveis



O preservativo é o único método que protege das infeções sexualmente transmissíveis.

O preservativo masculino e feminino pode ser usado por todas as pessoas, não importa o género, em diferentes práticas sexuais. Por essa razão, é utilizada a nomenclatura preservativo externo e preservativo interno, por ser mais inclusiva. 

 

Preservativo externo (masculino)

O preservativo externo é constituído por um invólucro de látex (borracha fina) pré-lubrificado ou em poliuretano ultrafino que vem enrolado e funciona como uma barreira física que impede os fluidos genitais de entrarem em contacto com a vagina, o ânus ou a boca, evitando assim uma gravidez ou a transmissão de infeções.

O preservativo deve ser colocado no pénis ereto antes de qualquer contacto genital, isto porque, mesmo antes da ejaculação, existe a produção do líquido pré-ejaculatório (que pode já conter espermatozóides). É um método contracetivo eficaz, prático e seguro.

 

Preservativo interno (feminino)

O preservativo interno é um método contracetivo que foi criado para ser colocado no interior da vagina. Tem a forma de um tubo feito à base de nitrilo (substância semelhante ao látex) e tem um anel em cada uma das extremidades. O anel que está fechado reveste o colo do útero e a extremidade aberta é posicionada à entrada da vagina. É um método de barreira eficaz que evita a entrada dos espermatozóides e de agentes infeciosos na vagina.

Este preservativo não se encontra atualmente à venda nas farmácias, embora estejam a ser feitos esforços nesse sentido, contudo, existe nos centros de saúde ou em algumas associações.

Qualquer tipo de prática sexual não protegida constitui um risco de contágio de infeções sexualmente transmissíveis quando uma das pessoas está infetada (e, às vezes, não é conhecido), pelo que o preservativo tem um papel fundamental nesta prevenção.

O preservativo

Cuidados a ter com os preservativos

A fim de utilizar um preservativo com mais segurança é necessário observar alguns cuidados, tais como:

  • O estado de conservação da embalagem;
  • Certificação de qualidade;
  • Prazo de validade;
  • Conservação das embalagens dos preservativos em lugares frescos e afastados do sol direto;
  • Abrir a embalagem com cuidado (sem utilizar objetos cortantes e evitar que as unhas rompam o preservativo);
  • Utilizar o preservativo apenas uma vez;
  • Usar sempre preservativos de marca conhecida. Os preservativos de marcas desconhecidas podem não estar certificados ou aprovados pela Defesa do Consumidor e pelas normas da União Europeia;
  • Qualquer medicamento que se aplique no pénis ou na vagina poderá afetar o preservativo; em caso de dúvida, fala com o/a médico/a.

Nota: para uma boa utilização do preservativo deverás ler o folheto informativo que acompanha a embalagem.  

 

Modo de aplicação do preservativo externo

Para colocar corretamente o preservativo é necessário estar atento aos seguintes passos:

  • Colocar o preservativo quando o pénis estiver em ereção e antes de qualquer contacto genital;
  • Segurar com os dedos a ponta do preservativo – reservatório ou depósito do esperma – para expulsar o ar (o ar em excesso pode fazer com que o preservativo rebente);
  • Colocar e desenrolar o preservativo ao longo do pénis até à base;
  • Verificar se o depósito do preservativo se encontra vazio para receber o esperma;
  • Se for necessário uma lubrificação adicional, deve-se apenas utilizar lubrificantes à base de água;
  • Após a ejaculação o preservativo deve ser retirado com cuidado, dar um nó e deitá-lo no lixo.

 

Modo de aplicação do preservativo externo

Para colocar corretamente o preservativo é necessário estar atenta aos seguintes passos:

  • Segurar o preservativo com a extremidade aberta voltada para baixo;
  • Usar o polegar e o dedo médio para comprimir o anel flexível do lado fechado de forma a torná-lo oval e estreito;
  • Com a outra mão, afaste os lábios da vulva;
  • Inserir o anel do lado fechado na vagina;
  • Usar o dedo indicador para empurrar o anel o mais profundamente possível na vagina;
  • Inserir um dedo por dentro do preservativo até tocar a parte de baixo do anel, 
  • Empurrar o anel para trás da púbis;
  • Assegurar de que o anel externo e parte do preservativo estão fora da vagina e sobre a vulva; 
  • Verificar se o pénis penetra no interior do preservativo.

No final da relação sexual, torcer o anel externo e puxar delicadamente o preservativo para fora. Retirar logo após a ejaculação, para que não escorra o líquido seminal para dentro da vagina.

O preservativo interno pode ser colocado no interior da vagina até 8 horas antes da relação sexual.

 

Vantagens

  • É o único método contracetivo existente para evitar as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST);
  • O preservativo externo é fácil de adquirir;
  • Ausência de efeitos secundários ou contraindicações;
  • Não necessita de receita médica;
  • Gratuito nos Centros de Saúde, Espaços Jovens e Associações na área da saúde.

Desvantagens

  • Podem surgir reações alérgicas ao látex.

 

A utilização correta e regular do preservativo é um sinal de responsabilidade.

Em caso de dúvidas quanto à eficácia do preservativo ou a relações sexuais sem proteção, entrar em contacto com:


Sim, os preservativos quando usados corretamente e de forma regular são muito eficazes.

É o único método contracetivo que, para além de proteger de uma gravidez indesejada, também protege das infeções sexualmente transmissíveis.  

É importante dizer que os preservativos não rompem facilmente. No entanto, algumas falhas de fabrico, embalagem, transporte ou utilização podem diminuir a sua eficácia. Quando o preservativo falha, aumenta o risco de contrair uma IST e/ou a possibilidade de uma gravidez.

Para evitar uma gravidez, é possível recorrer à contraceção de emergência, no prazo de 120 horas após a relação sexual, devendo ser usada o mais próximo da relação quanto possível.

Alguns preservativos com aromas são de fantasia e podem não garantir uma proteção eficaz.  Se este tipo de preservativo estiver de acordo com as normas exigidas são seguros tal como os restantes.

Apesar de não ser uma situação comum, existem pessoas que fazem alergia ao látex e/ou ao lubrificante dos preservativos. Quando se experimenta várias marcas (com e sem lubrificante) e as reações alérgicas se mantêm, o melhor será adquirir preservativos de poliuretano.

Podem ser adquiridos gratuitamente nos Centros de Saúde e nos Centros de Atendimento a Jovens. Podem ser comprados nas farmácias, nos supermercados, nas máquinas que se encontram nas discotecas, bares e centros comerciais (nestes casos, é necessário ter atenção ao período de validade dos preservativos e se estas máquinas estão no exterior, ou seja, expostas ao calor).  

Atualizado em: 26/03/2020

SUBSCREVER NEWSLETTER

Utilizamos cookies no nosso site para lhe proporcionar a melhor experiência. Ao continuar a navegar, está a autorizar a nossa utilização destes cookies. No entanto, se pretender saber mais informações, nomeadamente como alterar as suas definições, consulte a nossa Politica.