>
<

COMO PODEMOS AJUDAR?


Desporto Adaptado



A Constituição da República Portuguesa de 1976 consagra, no seu Artigo 79º, o direito à cultura física e ao desporto a todos, aspeto este reforçado pelo Artigo 1.º da Lei n.º 30/2004, de 21 de julho – Lei de Bases do Desporto – que assume o desporto como fator indispensável na formação da pessoa e no desenvolvimento da sociedade, não deixando de se ocupar especialmente da prática desportiva do/a cidadão/ã portador/a de deficiência, como é visível nas determinações constantes nos artigos 5.º, 26.º, 32.º, 70.º e 82.º.

Do mesmo modo, a Lei n.º 38/2004, de 18 de agosto – Lei de Bases da Prevenção e da Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência – faz referência ao valor da prática desportiva para os/as cidadãos/ãs portadores/as de deficiência, nomeadamente no que se refere ao desporto e à recreação como medidas para a habilitação e reabilitação (artigo 25.º). Além disso, estabelece que «cabe ao Estado adotar medidas específicas necessárias para assegurar o acesso da pessoa com deficiência à prática do desporto e à fruição dos tempos livres» (artigo 38.º), incluindo o acesso à prática do desporto de alta competição (artigo 39.º).

Neste enquadramento, a organização da prática desportiva revela-se um instrumento privilegiado de intervenção com portadores/as de deficiência. O universo do desporto subdivide-se em várias vertentes, nomeadamente, educativa, recreativa, terapêutica e competitiva, todas elas aplicáveis às populações especiais, e também todas elas promotoras de integração social.

O desporto tem o mérito de dar visibilidade às capacidades dos indivíduos, e não às suas dificuldades, pois ninguém pratica uma atividade desportiva e recreativa em que não tenha oportunidade de colocar em evidência as suas capacidades.

 

Valor do desporto e da atividade física na pessoa com deficiência

A nível do próprio indivíduo, poderá contribuir para:

  • O desenvolvimento da condição física (aumento da força, da resistência, da velocidade, da flexibilidade);
  • O psicomotor (melhoria no controlo postural, na coordenação motora, no equilíbrio, no conhecimento do corpo e das suas reais potencialidades quer psicomotoras, quer físicas);
  • A estimulação de centros nervosos e de estruturas anatómicas lesadas, que poderá acelerar o processo terapêutico;
  • Potenciar o desenvolvimento cognitivo;
  • Potenciar um aumento do autoconceito;
  • Potenciar um aumento da comunicação;
  • Potenciar a prevenção de estados depressivos e de ansiedade;
  • Potenciar a redução da irritabilidade e da agressividade;
  • A produção de uma sensação de bem-estar e equilíbrio;
  • Ajudar no desenvolvimento intelectual, sobretudo nas idades mais tenras;
  • Potenciar a integração social e a qualidade de vida.


Contribui também para o desenvolvimento social, nomeadamente:

  • Através do esclarecimento do público acerca da situação particular dos grupos de deficiência, acerca das suas experiências, comportamento, atuação e das suas reais capacidades;
  • Permitindo construir uma melhor camaradagem entre deficientes e não deficientes;
  • Promovendo a integração social de portadores/as de deficiência através da realização de provas com pessoas com deficiência em eventos para pessoas sem deficiência;
  • Os/As desportistas com deficiência funcionam como modelo de superação dos próprios limites para outros elementos com deficiência, permitindo que estes possam encontrar soluções para as suas próprias barreiras à integração e participação na sociedade;
  • Despertando um maior interesse da comunidade científica para o estudo das deficiências, sobretudo no que diz respeito às áreas científicas que estudam o comportamento. A partir daí, a intervenção com esta população terá uma mais-valia no que diz respeito à qualidade desta;
  • Promovendo o desenvolvimento de soluções técnicas e de materiais cada vez mais adaptados, que permitam a atenuação das desvantagens provocadas pelas deficiências.

Ligações


Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P (INR I.P.)
Av. Conde Valbom, 63
1069-178 Lisboa
Tel.: (+351) 21 792 95 00
Fax: (+351) 21 796 51 82 
INR@inr.mtsss.pt     

Comité Paraolímpico Internacional (IPC - International Paralímpic Committee)
Adenauerallee 212-214
53113 Bonn
Germany
info@paralympic.org

Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência (FPDD)
Rua Pres. Samora Machel, Lte 7
2675-064 OLIVAL BASTO
21 937 99 50 / 93 237 99 59
secretaria@fpdd.org

Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO)
Rua de S. José, 86-1º
1 150 Lisboa
Tel: 21/342 20 01
Fax:: 21/342 85 18
dn@acapo.pt

Associação Nacional de Desporto para Deficiência Intelectual (ANDDI)
Rua Prof. Angélica Rodrigues, nº 46, Sala 7
4400-555 VILA NOVA DE GAIA
Tel: 22 712 91 38/39
Fax: 22 712 91 43
info@anddem.rcts.pt

Associação Nacional para Deficientes Motores (ANDDEMOT)
Rua João Maria Porto
Encosta da Portela
2795-637 CARNAXIDE
Tel: 21 417 73 26
Fax: 21 418 17 46

Paralisia Cerebral / Associação Nacional de Desporto (PC/AND)
Estrada da Beira, nº 90
3030-173 COIMBRA
Tel: 239 78 04 36
Fax: 239 78 04 37
pcand@mail.telepac.pt

Liga Portuguesa de Desporto para Surdos (LPDS)
Av. de Ceuta Sul, Lte 6, loja 3
1350 LISBOA
Tel: 21 364 19 36
Fax: 21 364 19 38
lpds@lpdsurdos.org.pt

Special Olympics – Portugal
Rua do Sítio do Casalinho da Ajuda
1349-012 Lisboa
Tel.: + 351 213 629 424
Fax: + 351 213 648 639


Atualizado em: 30/03/2020

SUBSCREVER NEWSLETTER

Newsletter subscrito com sucesso Não foi subscrever o Newsletter. Por favor tente mais tarde

Utilizamos cookies no nosso site para lhe proporcionar a melhor experiência. Ao continuar a navegar, está a autorizar a nossa utilização destes cookies. No entanto, se pretender saber mais informações, nomeadamente como alterar as suas definições, consulte a nossa Politica.