>
<

COMO PODEMOS AJUDAR?


Saúde Juvenil

As mudanças na puberdade  

Desenvolvimento sexual



O que é a puberdade?

A sexualidade existe desde o desenvolvimento embrionário e é marcada por diferentes fases de desenvolvimento sexual.  

Na infância, com exceção dos órgãos genitais, o corpo das raparigas é muito semelhante ao dos rapazes, sem cintura e ancas pronunciadas, os ombros estreitos, o peito liso, pequenos mamilos e um tom de voz parecido.

Na puberdade, uma pequena glândula situada na base do cérebro chamada pituitária ou hipófise, liberta substâncias químicas (hormonas) no fluxo sanguíneo. Estas substâncias ativam o processamento das glândulas sexuais e o seu funcionamento. Nas raparigas, estas glândulas são os ovários e nos rapazes são os testículos. À medida que se vão desenvolvendo, os seus órgãos genitais vão amadurecendo até ficarem prontos para poderem ser pais e mães quando forem adultos. 

Estas alterações fisiológicas não acontecem em todos os rapazes e raparigas ao mesmo tempo. Cada pessoa tem o seu próprio ritmo, o qual deve ser respeitado. Contudo, sabemos que a puberdade começa geralmente entre os 8 e os 12 anos e está completa quando termina o processo de desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários (masculinos e femininos).

Na rapariga, a puberdade começa com o aparecimento da menarca (primeira menstruação) e no rapaz inicia-se com a possibilidade de ejaculação. Isto surge frequentemente entre os 12 e os 14 anos, apesar de variar consoante o ritmo de crescimento de cada um/a. 

A puberdade significa um conjunto de alterações físicas que acontecem na vida dos rapazes e das raparigas que marcam o início de uma etapa muito importante, a adolescência.

A puberdade e a adolescência

Que mudanças surgem nas raparigas?

Nas raparigas, observa-se um aumento na altura e no peso, as ancas alargam e tornam-se mais redondas, os seios desenvolvem-se e começam a crescer os pelos púbicos, a pele fica mais oleosa e as glândulas sudoríparas tornam-se ativas. Os ciclos menstruais assinalam um importante marco na vida das jovens. Quanto melhor se conhece e mais se valoriza o corpo, melhor é a relação com o próprio corpo.

Algumas raparigas surpreendem-se por ainda não terem os seus seios desenvolvidos ou, pelo contrário, estarem já muito desenvolvidos, surpreendem-se por terem a pele mais oleosa, suarem mais, terem borbulhas, as ancas alargarem, terem menstruações mais ou menos regulares.

O ritmo destas mudanças é individual e único, sendo por isso diferente do desenvolvimento de outras colegas e amigas. Ninguém sabe ao certo porque é que o desenvolvimento acontece em algumas jovens assim de forma «acelerada» e noutras de forma mais gradual.

Fatores hereditários e mesmo o clima, a nutrição, entre outros, poderão explicar estas diferenças. Todavia, com o passar do tempo, algumas diferenças tenderão a diminuir. E naturalmente, existirão sempre pessoas mais altas, baixas, com mais ou menos peito. Mas é importante saber que cada pessoa vive este período de forma própria e única.

 

Que mudanças surgem nos rapazes?

Os rapazes são, por regra, mais altos e o seu corpo desenvolve um maior índice de massa muscular. Os ombros e o peito alargam e os músculos começam a desenvolver-se. O pénis e os testículos crescem, começando a produzir esperma, e surgem os pelos púbicos. À medida que o tempo passa, as cordas vocais engrossam, o que torna a voz mais grossa, embora possa produzir, por vezes, sons agudos. Podem ainda surgir alguns pelos no peito. Os pelos nos braços e nas pernas ficam mais grossos e os pelos púbicos tornam-se mais espessos. As glândulas sudoríparas começam a funcionar e a transpiração aumenta. Nesta fase, o rapaz passa a ter a capacidade de produzir espermatozóides e ocorrem as primeiras ejaculações.

 

A adolescência

Durante a adolescência é comum existirem sentimentos contraditórios. Em algumas situações o/a adolescente pode sentir-se bem no próprio corpo, enquanto que em outras alturas pode sentir-se desconfortável num corpo que está em mudança e em crescimento. Alguns autores avaliam a adolescência como uma situação de crise, onde coexistem oportunidades e riscos. Trata-se de uma etapa marcada por uma grande vulnerabilidade. As emoções são vividas com muita intensidade, surgem dúvidas, questões, desejos contraditórios. É um período de grandes transformações físicas, psicológicas e emocionais, e de procura de uma identidade própria. 


Atualizado em: 19/02/2020

SUBSCREVER NEWSLETTER

Utilizamos cookies no nosso site para lhe proporcionar a melhor experiência. Ao continuar a navegar, está a autorizar a nossa utilização destes cookies. No entanto, se pretender saber mais informações, nomeadamente como alterar as suas definições, consulte a nossa Politica.