>
<

COMO PODEMOS AJUDAR?


Start to talk

Os adultos têm de quebrar o silêncio

07/11/2018

Start to talk é sobre adultos que, ao quebrarem o silêncio, dão voz às crianças. A campanha é um apelo do Conselho da Europa para que as autoridades públicas e o movimento desportivo, em particular, ponham fim ao abuso sexual infantil. Ao aderir a este convite, os governos, clubes desportivos, associações e federações, atletas e treinadores, comprometem-se a tomar medidas concretas para prevenir e responder ao abuso.

O lançamento da Campanha em Portugal foi promovido pela Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto (SEJD), com organização do IPDJ, em parceria com a Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens e a Confederação Portuguesa de Associações de Treinadores.

 

 

Trabalhos realizados no âmbito da campanha 

O IPDJ tem promovido o fortalecimento do sistema de cooperação com diferentes organizações públicas e privadas, incluindo os estabelecimentos de ensino, as entidades representativas dos agentes desportivos, os clubes e as associações, no sentido de sensibilizar, formar e capacitar pessoas para agirem sempre que tenham conhecimento de situações de abuso sexual no Desporto.

Com este propósito, o IPDJ tem promovido a campanha «Start to Talk» e o desenvolvimento de recursos para utilização em sessões de sensibilização e capacitação.

No final de 2018, lançou a nível nacional a iniciativa, que assinalou em simultâneo o Dia Europeu para a Proteção das Crianças Contra a Exploração e Abusos Sexuais.

Em 2019 teve início o Roadshow desta campanha, que tem percorrido o território nacional, tendo como público alvo os Clubes e as associações desportivas locais, bem como os dirigentes, os atletas e os treinadores/as com vista a fazer um apelo para que estes diferentes agentes desportivos se comprometam a tomar medidas concretas para prevenir e responder ao abuso sexual de crianças no desporto.

A campanha tem ainda estado presente em eventos organizados por federações desportivas, junto de projetos do programa Escolhas e, no âmbito do PNED, de escolas secundárias.

Para integrar o catálogo de formação do programa Clube TOP, programa de capacitação de clubes desportivos, estão a ser desenvolvidos dois módulos de formação destinado às pessoas com responsabilidade de gestão e/ou administrativa nos clubes desportivos.

O projeto-piloto «Violência fora de jogo» está a ser desenvolvido, em parceria com a Fundação Benfica envolvendo duas especialistas na área da prevenção dos abusos sexuais de crianças e jovens, tendo por objetivo a prevenção e capacitação de toda a comunidade desportiva (dirigentes, técnicos e colaboradores, treinadores/as e equipas técnicas, pais e famílias dos atletas) para as questões da violência sexual no desporto, de todos/as os/as intervenientes no desporto juvenil, projeto este a ser testado no universo do Sport Lisboa e Benfica (SLB) para que depois possa ser alargado.

 

 

Materiais produzidos

No sentido de sensibilizar o movimento desportivo para o abuso sexual de crianças e jovens no contexto do desporto e apelar para que contribuam com medidas concretas de prevenção e resposta ao abuso sexual contra crianças e jovens no desporto, disponibilizamos os seguintes recursos:

  • Vídeo da campanha

 

 

  • Postal e tríptico «STOP ao abuso sexual de crianças e jovens no desporto»

 

O Kit de Formação foi desenvolvido com o objetivo de apoiar todos aqueles em posições de influência no desporto (dirigentes, treinadores, professores, pais, atletas mais velhos) na prevenção e resposta a situações de potencial violência sexual no desporto contra crianças e jovens. O objetivo é dotar todos os agentes desportivos de informação para que:

  • Sejam capazes de reconhecer os sinais;
  • Sejam capazes de responder de forma adequada e de encaminhar para os serviços de apoio e linhas de atendimento existentes;
  • Sejam capazes de implementar medidas de prevenção para evitar ou reduzir situações de risco.

O kit é composto por um conjunto de 6 fichas informativas:

  • Ficha 1 - Factos e números 

    • A ficha 1 apresenta factos e números, dando resposta a questões como: O que é a violência sexual? Com que frequência ocorre? Qual o impacto? Quem são as vítimas? E quem são os agressores? Quais os fatores de risco no desporto?

 

  • Ficha 2 - Quadros jurídicos e regulamentar 
    • A ficha 2 refere-se aos quadros jurídicos e regulamentares identifica as leis, convenções, quadros regulamentares, normas e boas práticas de apoio na prevenção e na resposta à violência sexual.

 

 

  • Ficha 4 - Como responder a alegações 
    • A ficha 3 e ficha 4 estão relacionadas com a proteção das vítimas, ou seja, perante situações concretas o que devemos fazer? Quais os sinais? Quais os indicadores de aliciamento ou comportamentos inadequados? A importância de códigos de conduta que estabeleçam o que é aceitável e inaceitável. Ainda no campo da proteção das vítimas, a ficha 4 apresenta informação sobre como podemos responder a situações ou alegações. Como reagir, o que fazer e não fazer, como atuar e quais os serviços de apoio.

 

  • Ficha 5 - Prevenir a violência sexual
    • A ficha 5 diz respeito à prevenção. Como avaliar o risco organizacional e os riscos relativos aos indivíduos, que medidas de prevenção devem ser implementadas.

 

 

 

Serviços de apoio

Os serviços destinados a apoiar crianças e jovens vítimas de violência sexual, as suas famílias e outras pessoas que possam ter sido afetadas são constituídos por um conjunto de entidades organizadas em rede, no sentido de dar uma resposta articulada e concertada, nomeadamente:

  • Serviços da Saúde (médicos, enfermeiros, psicólogos, psicoterapeutas/peritos em psicotraumatologia);
  • Serviços de Apoio Psicossocial (assistentes sociais, pro­fissionais de apoio à vítima e psicólogos);
  • Comissões de Promoção e Proteção de Crianças;
  • Organizações Não Governamentais de Defesa dos Direitos Humanos e dos Direitos das Crianças.

 

 

Se precisar de apoio ou ajuda ligue!

 

 

Linha SOS Criança | 116 111

Acesso direto ao Chat Online da Linha SOS Criança

 

 

Linha da Criança | 800 20 66 56

 

 

 

Linha Emergência Social | 144

 

 

Linha Apoio à Vítima | 116 006

Atualizado em: 05/05/2020